Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Bibliografia da ó menina

ó menina, 07.11.14

'Call Center' de Henrique Manuel Bento Fialho

 

sinopse:

recolha de pequenas histórias, o narrador escuta personagens reclusas de um mundo burocrático.Call Center é o confessionário onde os paradoxos e as ambiguidades da sociedade de consumo encalham, libertando-se sob a forma prestidigitada do conto. O absurdo surge como solução possível para contradições insanáveis, vidas sem rumo, situações mais ou menos verosímeis que nos fazem crer ser inútil procurar outro sentido para a vida que não seja o de uma desconfiança permanente sobre o doméstico, a normalidade, o lógico.

 

aqui

 

 

Obrigada, pelo seu contacto!

Acordo Ortográfico

ó menina, 06.11.14

Acho que o AO pecou ao não fazer cair o 'c' de técnico definitivamente. Tantos que são os portugueses que o crêem mudo.

 

- ó menina, o 'ténico' não veio mas está ali no café a beber cerveja. Os 'ténicos' são todos iguais...

- ó menina, o 'ténico' isto, o 'ténico' aquilo blablabla...

 

Obrigada pelo seu contacto!

 

 

Quem sou eu e o que é isto

ó menina, 04.11.14

 

A ó menina é uma mulher real. Mesmo antes de passar horas no ginásio, spa e cabeleireiro, esforçando-se por deixar de ser um patinho feio desengonçado e ter oportunidade de desfilar numa passarela.

Ainda não está licenciada, para regozijo da Sra. d Merkel.

Trabalha muito e ganha pouco. Vai pagando as contas e às vezes também come.

Como nasceu atrasada uma geração, não tem as suas habilitações (frequência em 2 licenciaturas) reconhecidas. Usa as mesmas ferramentas de trabalho e com maior destreza que a geração anterior mas, caiu na precaridade dos esquemas de outsourcing e trabalho temporário montados pela geração anterior.

Trata questões de cerca de 80 clientes por dia que lhe ligam para o armazém, perdão armazém não, contact center . Não é um armazém porque a ó menina e os colegas não são coisas, são tratados como coisas mas, não são, são ‘Assistente de Relacionamento com o Cliente’ ... 

Na maioria das vezes em que o ‘Cliente’ a trata por ó menina pensa, Senhores na falta do que fazer não telefonem para cá, telefonem antes para as paredes! Pelo que resolveu expor esta sua inquietação e outras coisas várias num blog. Assim, nasceu o ‘Call, para as paredes!’

 

Obrigada pelo seu contacto!