Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Presente aquém do futuro que sonhamos

ó menina, 29.10.15

 

Andava eu, na minha triste vidinha, a disputar restos de promoções com velhas matreiras e escorregadias quando ao microfone da loja alguém gritou:

 

- Joana d'Arc à sua caixa! Joana d'Arc à sua caixa!

 

Senti-me melhor na minha triste condição.

Se ela que privou com Deus nosso senhor o todo poderoso acabou numa caixa de supermercado, estar num call center é uma benção. Certo?

 

 

 

 

Obrigada, pelo seu contacto!

 

 

 

 

 

 

 

Mordo a língua

ó menina, 26.10.15

Mordo muitas vezes a língua para não dizer o que me apetece.

Ontem mordi a língua.

 

(Domingo, 23h43)

 

-Ó menina, diz aqui que já gastei o plafon de minutos mas, não é possível. Eu não falo assim tanto, ao telemóvel...

 

Parece pretensioso deitar-me a adivinhar, pela voz e maneira de falar, o estrato social da pessoa mas, a experiência autoriza-me. A cliente era de classe média. Educada, discurso elaborado, destreza informática... Era de classe média.

Consumos avaliados, cálculos feitos, instruções para consulta e confirmação dos mesmos e a cliente insistia.

- Mas, eu sou muito controlada. Não fui eu que fiz as chamadas, é um erro certamente.

Em fundo, o barulho da televisão e as vozes dos familiares.

Pai e filho faziam os trabalhos de casa. A informação era sempre a mesma. Mas, a cliente insistia na questão e entre verificações e validações gritava impacientemente:

- tens 5 pratos com 6 laranjas...

O esposo, pai pedia-lhe calma.

- Trata disso que eu trato disto.

 

Eu, mordia a língua.

 

- Se tivesse dedicado mais tempo ao seu filho e menos ao telemóvel, nada disto acontecia... - pensava, não me cabia dizê-lo.

 

Hoje o miúdo, certamente, chegou à escola cheio de sono e com a lição mal estudada mas, a mãe está satisfeita porque lá se arranjou maneira de continuar a telefonar até ao final do mês.

 

Obrigada, pelo seu contacto!

 

 

Medo

ó menina, 21.10.15

O facto de ultimamente me cruzar em média três vezes por semana com ambulâncias e socorristas do INEM, no meu local de trabalho, provoca-me medo. Tenho medo da repercussão que o stress e o cansaço acumulados terão no meu futuro, na minha saúde. Sei o quanto me pesam, agora, no presente. Mas, e no futuro?

Até onde aguento? Quando serei eu a cair?

 

Obrigada, pelo seu contacto!

 

 

Coisas que a ó menina ouve

ó menina, 10.10.15

 

Para além dos jingles de Natal que os clientes têm como Waiting Ring desde Agosto, a ó menina ouve outras coisa que isto da vida não é só trabalho.

A ó menina dedicou algum do seu tempo a ouvir os discos dourados que a NASA enviou para o espaço em 1977 com a sonda Voyager.

Sim, a NASA enviou discos para o espaço! Todos sabemos que os extraterrestres para além de ouvidos têm gira-discos ou tinham, agora, devem usar iPods.

A iniciativa foi do astrofísico Carl Sagan, numa tentativa de contactar com vida extraterrestre. Quase quarenta anos depois, os discos continuam a viajar pelo espaço, sem que tal contacto tenha ainda ocorrido. ( porque será?) Porém, agora, é possível escutar, numa playlist, toda a música e sons neles contidos.

Para além de música, a playlist conta com uma introdução feita pelo então secretário-geral da ONU, Kurt Waldheim, cumprimentos feitos em 55 linguagens diferentes e sons demonstrativos da cultura e natureza terrestres (vulcões, chuva, a campainha de um telefone...).

A BBC Radio 3 disponibilizou-a para escuta através do seu website, o qual pode ser acedido aqui.'

 

É um pouco como o '2001 Odisseia no espaço' e como a Coca-cola. Primeiro estranha-se e há momentos em que não conseguimos determinar se é belo ou se é uma grande seca mas, enfim, depois entranha-se. E é sempre giro imaginar um extraterrestre dançar ao som do Johnny B. Goode do Chuck Berry.

 

 


Saudações, terráqueos!

 

ps Na próxima faço uma crítica fofinha ao livro que estava a ler, digo que tinha vestido um outfit em vez de um pijama e faço deste um blog de sucesso...

 

 

 

 

 

 

 

Pág. 1/2