Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Cada um luta com as armas que tem

ó menina, 26.04.20


O pós 25 de Abril foi marcado por um período de incerteza.
Em 1975, o povo, (palavra gasta na época), vivia insatisfeito por algo que não se cumprira e em permanente inquietação pela possibilidade de uma intervenção internacional cuja face mais visível eram os navios da Nato atracados no Tejo nomeadamente um Porta-aviões americano. 

Perante a emeaça da intervenção estrangeira, João Cesar Monteiro pegou na camera e foi sentir o pulso das ruas onde os militares americanos passeavam enquanto os locais lidavam com a possível intervenção identificada com 'Nosferato' o vampiro de Murnau de cujo filme João César Monteiro utiliza alguns momentos.

Deixou-nos um documento importante para a compreensão do momento.

Que farei Eu com esta espada' by João César Monteiro

Sugestões da Ó Menina no Dia do Livro

ó menina, 23.04.20

Hoje é dia do livro e sei que todos estão ansiosos por saber o que ando a ler. No entanto, mesmo acreditando que são grandes fãs de historiografia vou poupar-vos ao rol de bibliografia que me ocupa por estes dias e deixar uma sugestão ao estilo goodreads com descrição em inglês e tudo. Vejam, como é giro!

9781528930666.jpg

'For sales agent Frank Parry, taking abuse is just part of his daily life. Working for one of the biggest claims management companies in Britain, he spends his days cold-calling strangers to convince them to check whether they were ever mis-sold Payment Protection Insurance (PPI).

He is tasked with making sure that at least thirty customers per month send back their paperwork, in order to earn a bonus on top of his basic salary. It also documents the daily abuse, and even threats, that Frank receives from the public merely for doing his job and how he actually feels about it.'

in Diary of a Call Center Agent by Philip Meese

 

ps. Ó Menina, então? É só isto que tens para nos sugerir?

Claro! Porque é que eu havia de vos sugerir mais se a obra do Machado de Assis está praticamente toda disponível de forma gratuita no Projecto Adamastor e vocês ainda não a leram? Hum?

Live 'em directo'

ó menina, 18.04.20

Hoje é sábado, saí de casa pela segunda vez e agora estou estirada no sofá com a moleza a que qualquer sábado comum convida. Faço scroll pelas redes sociais enquanto os velhos westerns ocupam a TV e espanto-me com o tanto de partilhas da intimidade que vejo e de como algumas pessoas estão ainda mais carentes do 'gosto' ou da aprovação dos outros do que estavam cá fora, antes do confinamento.

Deixo-vos uma musiquinha com um vídeo muito interessante. A Páscoa já passou mas ainda vem a tempo.

Kill yourself live by Mudhoney

A Outra Margem

ó menina, 17.04.20

A Outra Margem, é talvez a indicação geográfica mais metafórica que existe. Aquela em que os poetas mais se podem aventurar, mesmo que o 'assunto' seja a morte e é também um filme do Luís Filipe Rocha.

Não sou dada a elogios fúnebres online de figuras conhecidas, quando os que partem partilharam generosamente connosco o que de melhor tinham para dar merecem ser recordados pelo seu trabalho.

Ao receber a notícia do desaparecimento do actor Filipe Duarte (46) lembrei-me logo deste filme.

Deixo-o como sugestão para os que estão com um pouco mais de tempo disponível.

É uma mensagem muito simples de tolerância e uma excelente reflexão acerca de como queremos viver lá fora, quando isto passar.

 

 

Quando o 'vírus da estupidez' Supera os Outros Todos

ó menina, 14.04.20

A TVI, tão boa que nem o grupo do Correio da Manhã lhe pegou, considera que ser rico afasta o Coronavírus e de caminho classifica a população de toda a região norte como sendo 'menos educada' o que a torna mais vulnerável a vírus.  

Já eu, que nunca daqui saí, considero-me feliz por a estupidez ter ficado toda concentrada na redação da TVI lá para os lados de Lisboa.

FB_IMG_1586853791360.jpg

 

do Desemprego dos Dias ou dos Dias de Desemprego

ó menina, 08.04.20

 

De 16 de Março a 6 de Abril, ou seja, em 22 dias, foram pedidos 41 mil subsídios, quando em igual período do ano passado, tinham sido cerca de 16 mil.
Há desde o início de Abril mais 4098 novos inscritos por dia nos centros de emprego.
Em Março registaram-se 59 despedimento colectivos, Abril já conta 35.

 

IEFP-800x500_c.png

 

Pág. 1/2