Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Back to Business

ó menina, 27.12.19

Os dias entre festas são dias de trabalho redobrado para os que não podem fazer férias.

Eis-me aqui a trabalhar como se não houvesse amanhã, são as taxas, as taxas não param! A trabalhar e a partilhar o que de interessante se passa no reino dos barracões em Portugal.

O ano termina com a manifestação de dirigentes sindicais do STCC em Braga, trabalhadores da Randstad a prestar serviços para a Apple através da americana Concentrix.
Segundo estes trabalhadores a empresa, Randstad, usa uma alegada violação de confidencialidade de um cliente como razão para o despedimento de um deles, três outros trabalhadores foram suspensos sem que lhes tenha, ainda, sido comunicada a razão.
Aparentemente, estes trabalhadores não podem dizer que trabalham para a maçã mordida, os 'amaricanos' adoram a mão-de-obra barata portuguesa mas não querem que se saiba.
Alegadamente, a verdadeira razão para despedimento e suspensões é o facto de a empresa estar a retaliar uma denúncia de alegado assédio moral a uma comunicadora.

Tudo isto será julgado em sede própria.
No entanto, sei duas ou três coisas que as empresas de trabalho temporário podiam fazer para evitar estas situações e sair melhor no retrato:

- colocar pessoas formadas em psicologia do trabalho, direito ou outra nas operações a tratar as questões relacionadas com recrutamento, administrativas, etc. Em vez de gerir à distância deixando essas funções para quadros intermédios, até porque, sabem perfeitamente que os cargos de supervisão não são atractivos pelo que não conseguem contratar os melhores para as funções.

- Não conseguindo retirar aos quadros intermédios funções administrativas as empresas de trabalho temporário deviam perder algum tempo a formar essas pessoas, chefinhos, cuja ignorância (confesso!) me tem proporcionado briefings muito interessantes mas difíceis de suportar, pela dificuldade que tenho em conter o riso e pelo quão perto fico de fazer uma queixa à ACT ou ao tribunal do trabalho por assédio moral sempre que um deles reage confrontado com a própria ignorância. Como se não lhes bastasse a ignorância sobre questões administrativas e legais tendem a ser muito maus na gestão e relação interpessoal apesar de serem responsáveis por coordenar equipas.


É muito fácil a uma empresa livrar-se de um trabalhador a quem paga o salário mínimo, no entanto, num momento em que felizmente há alguma dificuldade em recrutar seria bom pensarem se não será melhor livrarem-se da maçã podre que vai contaminando o cesto e impedindo novas maçãs de amadurecer mesmo que a maçã podre seja a maçã rainha. Poupavam em indemnizações e em acordos que normalmente é onde estes processos que começam na incompetência de quadros intermédios vão parar, não sem antes levar trabalhadores competentes a um estado de exaustão e humilhação do qual é difícil resgatá-los e nós não queremos ser a china. Ou queremos?

ps Sobre confidencialidade e privacidade também tenho duas ou três coisas a dizer, mas como são sobre a minha privacidade, os meus dados pessoais, envolvem o facto de a minha segurança ter sido colocada em risco pela organização em que trabalho e ainda aguardo uma resposta antes de avançar para as instâncias competentes, deixo-as para outra altura.

Atentamente, Ó Menina.

 

apple-china_2121449b.jpg

Na imagem, Trabalhadores da Foxconn, trabalhavam para a Apple quando 13 dos seus colegas se suicidaram no início da década que está quase a terminar, temos um ano para mudar isto.