Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Já que é comigo

ó menina, 26.04.16

Gostava que alguém fizesse ver à SIC que à mulher de César não basta ser tem que parecer.

Quando nos tentam vender a ideia de que fazem serviço público, ao trazer para o horário nobre o debate acerca da discriminação em sociedade, deviam mostrar, na sua grelha, que não praticam os preconceitos criticados.

Nos dois programas exibidos, até agora, apresentaram um caso de discriminação racial e outro de discriminação pela aparência (tamanho) nos milhares de currículos recebidos pela SIC constava, certamente, algum de um negro ou de um gordo competente que podia integrar o elenco de 'caras bonitas' da estação. Então, onde é que eles estão?

Se o critério da SIC na contratação das suas caras fosse outro que não, meramente, o de corresponder ao padrão estético dito 'normal' não contratavam a tonta da Luciana Abreu, que nem duas palavras consegue juntar, para apresentar programas, certo?

 

 

ps Eu dificilmente seria contratada para trabalhar num loja da empresa mas, para estar ao telefone a fazer o mesmo que faria presencialmente já sirvo. Eu nunca recorri e sobretudo nunca voltei a uma loja pela aparência do colaborador mas, pela competência, se todos fossem assim...

 

 

Obrigada, pelo seu contacto!

 

 

 

 

 

15 comentários

Comentar post