Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Mordo a língua

ó menina, 26.10.15

Mordo muitas vezes a língua para não dizer o que me apetece.

Ontem mordi a língua.

 

(Domingo, 23h43)

 

-Ó menina, diz aqui que já gastei o plafon de minutos mas, não é possível. Eu não falo assim tanto, ao telemóvel...

 

Parece pretensioso deitar-me a adivinhar, pela voz e maneira de falar, o estrato social da pessoa mas, a experiência autoriza-me. A cliente era de classe média. Educada, discurso elaborado, destreza informática... Era de classe média.

Consumos avaliados, cálculos feitos, instruções para consulta e confirmação dos mesmos e a cliente insistia.

- Mas, eu sou muito controlada. Não fui eu que fiz as chamadas, é um erro certamente.

Em fundo, o barulho da televisão e as vozes dos familiares.

Pai e filho faziam os trabalhos de casa. A informação era sempre a mesma. Mas, a cliente insistia na questão e entre verificações e validações gritava impacientemente:

- tens 5 pratos com 6 laranjas...

O esposo, pai pedia-lhe calma.

- Trata disso que eu trato disto.

 

Eu, mordia a língua.

 

- Se tivesse dedicado mais tempo ao seu filho e menos ao telemóvel, nada disto acontecia... - pensava, não me cabia dizê-lo.

 

Hoje o miúdo, certamente, chegou à escola cheio de sono e com a lição mal estudada mas, a mãe está satisfeita porque lá se arranjou maneira de continuar a telefonar até ao final do mês.

 

Obrigada, pelo seu contacto!

 

 

4 comentários

Comentar post