Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Morrer Cosmopolita

ó menina, 15.06.16

 

Há dias, assisti a uma conversa do Luis Sepúlveda com o Richard Zimler. O Luis Sepúlveda contou que viveu em vários países europeus mas é, de facto, Chileno. Contou como o seu nascimento se deu num motel que dava pelo nome de Chile.

Nasceu num local de passagem. Pensei, no momento, que nada podia haver de mais cosmopolita. Lembrei-me, depois, do Padre António Vieira que dizia: 'para nascer Portugal, para morrer o Mundo'. 

Sei que nasci em Portugal, infelizmente, as circunstancias não me têm permitido ir morrer a outro lado. Se morresse hoje morria sem ter saído de Portugal (ou quase). Pergunto-me se nas circunstâncias actuais podemos ser cosmopolitas sem sair do sítio onde nascemos. Afinal eu estava em Portugal a ouvir uma conversa entre dois escritores estrangeiros, um americano e um chileno. 

 

 

Obrigada, pelo seu contacto.

 

8 comentários

Comentar post