Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

'Não somos números, somos pessoas'

ó menina, 04.09.19

Não somos números, somos pessoas. Foi por isso que, hoje, 04 de Setembro de 2019 os trabalhadores da Teleperformance de Setúbal fizeram greve

Porque parece muito difícil fazer compreender aos outros que tipo de lutas travam diariamente os trabalhadores do sector foi distribuído um comunicado à população que passo a transcrever.

Nós, trabalhadores da Teleperformance de Setúbal, hoje, dia 4 de Setembro fazemos greve. Fazemo-nos ouvir pelas ruas de Setúbal. Não aceitamos cortes nos nossos vencimentos, não aceitamos salários de miséria, não aceitamos o assédio moral e a precariedade!

Fazemos greve e saímos à rua porque a Teleperformance de Setúbal anunciou que iria cortar 78€ dos nossos vencimentos, de forma ilegal. Lutamos contra o corte mal disfarçado do chamado “Prémio de Assiduidade”, que na verdade não é um prémio mas uma componente fixa do rendimento que é necessária nas nossas casas para pagar a renda, as contas e por comida na mesa

Lutamos também porque a Teleperformance nos trata como números, não como pessoas. Porque os colegas mais novos, nem sequer têm direito aos 78€ que agora querem cortar aos mais velhos. Lutamos porque nos exigem um esforço máximo, mas pagam-nos o salário mínimo. Lutamos porque os nossos contratos são precários. Lutamos porque a Teleperformance se serve de uma Empresa Fantasma, a Emprecede, para adiar por anos a fio a nossa efectivação. Lutamos porque o Assédio Moral leva dezenas de colegas a esgotamentos e depressões. Lutamos porque somos penalizados brutalmente por faltas por assistência à família e por faltas dadas por doenças causadas pelas próprias condições de trabalho. Lutamos ainda contra a adaptabilidade e o abuso da horas extraordinárias.

Ao contrário do que quer fazer parecer, a Teleperformance não cria na cidade de Setúbal emprego estável e com direitos. É uma empresa que contrata muita gente – mas despede também muito. A Teleperformance fomenta a precariedade, os baixos salários e a instabilidade nas vidas dos trabalhadores. Isso tem de mudar!

Apelamos a toda a população de Setúbal, aos trabalhadores das outras empresas que sejam solidários. Assim como pedimos às instituições públicas, como a Câmara municipal ou a ACT, que tomem uma posição. Não aceitem o corte nos nossos vencimentos. Não aceitem a precariedade, os salários de miséria, o assédio e a instabilidade.

 

Força nisso, Ó Meninos!

13 comentários

Comentar post