Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Natal, direito adquirido

ó menina, 18.12.19

Em Espanha, ali ao lado, os patrões oferecem tradicionalmente aos seus colaboradores um cabaz com produtos alimentares. Nalguns casos, o reconhecimento aos trabalhadores expressa-se em cabazes generosos avaliados em cerca de 60 euros.
Como qualquer patrão que se preze, os patrões espanhóis assim como as multinacionais que operam em Espanha tentaram acabar com esta tradição, no entanto, esbarraram com os sindicatos e com o entendimento dos tribunais espanhóis que decidem tendencialmente a favor dos trabalhadores. Esta semana uma sentença do Supremo Tribunal de Justiça Espanhol considera o cabaz de Natal como direito adquirido desde que fique comprovado que era prática da empresa nos 3 anos anteriores. (Pormenores neste artigo do El Pais.)

A tradição de oferecer produtos alimentares aos trabalhadores deriva da tradição romana de, em Dezembro, os Senhores oferecerem aos seus trabalhadores um cesto de vime com produtos alimentares para que estes celebrassem com as suas famílias a Saturnália (festa em honra do Deus Saturno). Durante a Saturnália, amigos e familiares visitavam-se e trocavam presentes. O cristianismo absorveu a tradição.


Acho que todos nos lembramos de quando os nossos familiares chegavam a casa com um Bolo-rei ou uma garrafa de espumante oferecida pela entidade patronal ou pelo proprietário do mini-mercado a que se mantivera fiel todo o ano.
Agora, sorrimos quando os nossos patrões nos dão uma bugiganga qualquer com o logótipo da empresa e das grandes superfícies comerciais a única coisa que podemos esperar é um estranho aumento de preços.

 

ps Já recebi de tudo um pouco dos meus patrões: relógios, mochilas, lanternas, guarda-chuvas, cadernos, canecas... mas nunca me deram nada comestível. E, não  sei se por medo de que o facto de nos presentearem com bugigangas se tornasse num direito adquirido ou se por outra razão qualquer no Natal passado a minha empresa deu-me uma mão cheia de nada.

 

cabaz-de-natal-n-86-725376-s8.jpg

 

12 comentários

Comentar post