Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Ó Menina comenta as eleições #2

ó menina, 06.10.19

E eis-me aqui novamente, agora, que já liguei a televisão.

Hoje, que não me dava jeito nenhum o espectáculo começou mais cedo...

Ainda não se registam tiros.

Há uma freguesia no Sabugal, Malcata, onde os menos de 500 eleitores não votam em protesto. Quatro marotos esqueceram-se e foram votar, não queria estar no lugar deles...

O líder do PCP votou numa freguesia cujo nome não sei dizer mas esteve muito bem com a sua camisa azul bebé estilo democrata cristão.

Assunção Cristas, para além da infelicidade de ser mais uma Maria de Portugal e ter que votar na mesa que tem a fila maior desde que isto se organiza por ordem alfabética, não conseguiu fugir aos Romeiros de Algés e votou com o autocolante deles na lapela, mais discreto que o Pin da bandeira de Portugal que usava quando era Ministra do Governo do Pedrito Coelho.

Catarina Martins, votou.

Rui Rio levou a filha para garantir que tem pelo menos 2 votos que não sejam em branco.

António Costa votou sem altercações, viu-se que houve cuidado em colocar só mulheres jovens na sua mesa. 

O líder do PAN, recordista absoluto da abstenção em votações na Assembleia da República, compareceu.

O Presidente da República, adorado pelo carbono, vai a Celorico de Basto votar. Graças ao método de Hondt o seu voto não conta para nada mas o ambiente fica mais triste.

 

Entretanto vou votar que se faz tarde. As eleições são livres, muitos de nós já as recebemos assim. Como não votar?

elslivres.gif

(Os cartazes do MUD, partido ilegalizado por Salazar, em apoio à candidatura do General Norton de Matos, contra o regime, são do melhor que se pode encontrar na iconografia deste género)

 

7 comentários

Comentar post