Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Natal, direito adquirido

ó menina, 18.12.19

Em Espanha, ali ao lado, os patrões oferecem tradicionalmente aos seus colaboradores um cabaz com produtos alimentares. Nalguns casos, o reconhecimento aos trabalhadores expressa-se em cabazes generosos avaliados em cerca de 60 euros.
Como qualquer patrão que se preze, os patrões espanhóis assim como as multinacionais que operam em Espanha tentaram acabar com esta tradição, no entanto, esbarraram com os sindicatos e com o entendimento dos tribunais espanhóis que decidem tendencialmente a favor dos trabalhadores. Esta semana uma sentença do Supremo Tribunal de Justiça Espanhol considera o cabaz de Natal como direito adquirido desde que fique comprovado que era prática da empresa nos 3 anos anteriores. (Pormenores neste artigo do El Pais.)

A tradição de oferecer produtos alimentares aos trabalhadores deriva da tradição romana de, em Dezembro, os Senhores oferecerem aos seus trabalhadores um cesto de vime com produtos alimentares para que estes celebrassem com as suas famílias a Saturnália (festa em honra do Deus Saturno). Durante a Saturnália, amigos e familiares visitavam-se e trocavam presentes. O cristianismo absorveu a tradição.


Acho que todos nos lembramos de quando os nossos familiares chegavam a casa com um Bolo-rei ou uma garrafa de espumante oferecida pela entidade patronal ou pelo proprietário do mini-mercado a que se mantivera fiel todo o ano.
Agora, sorrimos quando os nossos patrões nos dão uma bugiganga qualquer com o logótipo da empresa e das grandes superfícies comerciais a única coisa que podemos esperar é um estranho aumento de preços.

 

ps Já recebi de tudo um pouco dos meus patrões: relógios, mochilas, lanternas, guarda-chuvas, cadernos, canecas... mas nunca me deram nada comestível. E, não  sei se por medo de que o facto de nos presentearem com bugigangas se tornasse num direito adquirido ou se por outra razão qualquer no Natal passado a minha empresa deu-me uma mão cheia de nada.

 

cabaz-de-natal-n-86-725376-s8.jpg

 

Black Friday vs Giving tuesday

ó menina, 29.11.19

Então? Entusiasmados, com as possibilidades que este dia vos reserva, a metade do dobro do preço habitual? 

 

Screen-Shot-2015-11-08-at-22.23.17 (1).png

Banksy

Dia 3 de Dezembro decorre o 'Giving tuesday' 2019. Ao que parece as pessoas andam tão ocupadas que foi necessário colocar no calendário uma data oficial para doar.

Muitas instituições organizaram recolhas de fundos, bens ou serviços para esta data uma vez que a atenção mediática faz chegar as suas necessidades a mais pessoas. Informem-se de quais são as instituições locais a precisar da vossa ajuda e passem por lá. Façam de conta que ainda se lembram do que significa realmente o Natal!

 

Já repararam? O Natal está quase a chegar!

ó menina, 24.11.19

Pois é, o Natal está a chegar!
De repente os jingles natalícios, que os clientes mantêm como Waiting ring durante todo o ano, passaram a fazer sentido.
A Popota já anda por aí a abanar as ancas, a Leopoldina continua em parte incerta... A senhora do Ferrero Rocher vendeu a limusine e anda de comboio mas continua a desejar algo. Pensou que a crescente preocupação com as alterações climáticas ajudaria a disfarçar a decadência mas não está a resultar. Já todos desconfiavamos que a senhora andava mal de finanças... Não muda de roupa há mais de 20 anos! O pobre Ambrósio continua a suportar as contas com a reforma de motorista da Carris. Poucos são capazes de manter por tanto tempo um amor e uma dedicação tão grandes como os que o Ambrósio mantém por aquela senhora. Não deve ser fácil, reparem que ela ainda o obriga a usar roupa de motorista apesar de não ter carro.
Enfim, o Natal está a chegar os centros comerciais estão cheios, as Câmaras municipais já têm as luzinhas contratadas e as empresas já convidaram os funcionários para o jantar de Natal. Os meus patrões, como habitual, acharam importante aproveitar a data para fomentar o espírito de equipa, de pertença e convidaram-nos a participar de um jantar onde cada um paga a sua conta. Nem um bombom para cada a empresa oferece, até a pobretanas do anuncio armada em dondoca tem uma travessa cheia deles, mas nós somos muitos e os lucros no sector só têm aumentado três vezes mais, temos que compreender a situação da empresa... mas tenho muita esperança na 'consoada' que nos vai oferecer. Em qualquer pequena empresa se oferecem cabazes com bolos e espumante como reconhecimento ao trabalhador e desejando que a oferta lhe proporcione bons momentos em família. Portanto, este ano, tenho esperança de que em vez de uma porcaria qualquer a publicitar a empresa nos dêem algo com valor, mais ainda espero que tenham a decência de encerrar linhas de atendimento não urgentes na véspera de Natal e que encerrando-as não obriguem os trabalhadores a compensar essas horas ou não lhas descontem do salário como tem vindo a ser comum no sector dos call centers.

Que venha o Natal! Tenho muita esperança para ele.