Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Ó Menina

Notas de uma menina que, por acaso, trabalha num call center

Também há Meninos no INEM

ó menina, 02.07.19

Sim, também há meninos no INEM. Mais do que meninos, há Ó Meninos que em centros de atendimento especializado têm que lidar todos os dias com o stress da profissão e acrescentar-lhe aquele que lhes chega pela má gestão do sector a que são alheios. Alheios a questões de falta de pessoal e de meios assim como às questões de corrupção das quais só de quando em vez temos noticia, os Ó Meninos estão no seu posto a fazer o melhor que podem para gerir situações complicadas em que, para além das dificuldades habituais, também têm que gerir a frustração daqueles que sentem urgência e buscam socorro mas têm que ficar 8 minutos em espera.

No 112, estão profissionais qualificados que, além da especificidade do serviço que prestam, sofrem com os mesmos problemas que qualquer outro profissional de Call Center: precariedade, turnos/horários que dificultam a conciliação entre o trabalho e a vida pessoal ou familiar, remuneração abaixo da sua qualificação, falta de legislação que determine a profissão como sendo de desgaste rápido e apesar de estarem num sector ligado à saúde a falta de definição acerca do que são as doenças profissionais que podem advir da sua actividade...

É preciso pensar um pouco no funcionamento das coisas para perceber o quanto a nossa vida depende dos que são os mais explorados e desprotegidos do sector. Não percam a oportunidade de o fazer assistindo a esta curta-metragem.

 

 

Lembrem-se, o 112 é só para casos de urgência!

 

 

12 comentários

Comentar post